Livros
Para adquirir:

Em lojas de instrumentos e de partituras ou online no site da Editora Irmãos Vitale.

Fazendo música no computador

Autor:
Edição:
Editora Irmãos Vitale
308 páginas

Para os iniciantes na música digital ou para os que já conhecem a matéria mas desejam se aprimorar: músicos, produtores, compositores, arranjadores, técnicos de gravação, sonorizadores, professores de música, editores de livros, engenheiros de som, produtores de multimídia, etc. Através do enfoque musical (com o mínimo de especificações técnicas), os leitores poderão se familiarizar com a linguagem da informática na música e desfrutar dos recursos dos instrumentos MIDI, seqüenciamento, gravação para HD, aplicativos etc.

Este livro mostra bem minhas razões para ser um fã deste músico: ele consegue transpor, com a mesma facilidade em ambos os sentidos, a ponte entre a Música e a tecnologia. Luciano Alves, excelente em Informática e genial na Música, sabe falar sem sotaque as duas línguas. Ou, ainda melhor que isso, está criando uma nova e mais completa língua, resultado da fusão de ambas.” — prefaceia Sólon do Valle.

* * *

SUMÁRIO

O computador
Configurando o computador para música

Transmissores e receptores
Teclados / Workstations / Baterias eletrônicas / Guitarras / Wind transmitters / Módulos / Placas com instrumentos MIDI / Instrumentos MIDI virtuais / Mixers

MIDI
Como MIDI funciona / Comandos de MIDI / Interfaces de MIDI / Placas multimídia / Interfaces de MIDI/Áudio / General MIDI / Placas e módulos GM para multimídia e internet

Sequenciadores
Workstations / Computadores / Recursos dos seqüenciadores

Gravação
Princípios da gravação analógica / Gravação digital / Tipos de conexões digitais / O princípio da gravação digital / Gravação digital para HD / DAW em computador / DAW dedicado / Hard disks / Recursos dos softwares para gravação em HD / Recursos dos plug-ins de áudio

Produção musical no computador
Composição / Sequenciamento / Arranjo / Orquestração / O orquestrador virtual

Produção de CD
CD demo / CD comercializável / Masterização / Masterização de compilações / Distribuição por gravadora / Distribuição independente

Produção para jingles, vídeo, TV, cinema e DVD
Composição para mídias visuais / Vídeo digital / DVD-V e DVD-A

Produção para multimídia
Composição para multimídia / CDROM / Projetos multimídia / Softwares para criação de multimídia

Produção para internet
Trilhas e sonoplastia para páginas / Arquivos de música para download / Formatos de música na Internet

Sincronização e time codes
SMPTE / MIDI Time Code (MTC) / Sample-accurate sync

Notação musical
Recursos necessários para notação musical / Exportação de gráficos / Extração de partituras

Dicionário de termos estrangeiros

 

* * *

INTRODUÇÃO

Muito se tem ouvido falar a respeito da utilização da tecnologia da informática aplicada à música. Mas, por se tratar de uma forma relativamente nova de fazer música e por não haver disponível no Brasil literatura suficiente que esclareça mais sobre o assunto, resolvi me dedicar a fazer este livro, reflexo de minhas pesquisas, experiências e performances com instrumentos e equipamentos eletrônicos desde o final dos anos 60 (quando microprocessador na música não passava de um sonho). Muitos textos aqui incluídos foram extraídos das apostilas que preparei para os workshops (aulas práticas) e cursos que venho ministrando, além de matérias e análises que escrevi para diversas revistas e jornais especializados.

Este livro pode ser utilizado por iniciantes que pretendem entrar no mercado da música digital ou por aqueles que já conhecem a matéria mas desejam se aprimorar: músicos, produtores, compositores, arranjadores, maestros, sonorizadores, técnicos de gravação, professores de música, editores de livros de música, engenheiros de som, produtores de multimídia, etc.

Os assuntos são apresentados progressivamente, calcados no propósito de fazer música (com auxílio de equipamentos eletrônicos e informatizados). Através do enfoque musical, os leitores poderão se familiarizar com a linguagem da informática na música e desfrutar dos recursos dos instrumentos MIDI, seqüenciamento, gravação para HD, aplicativos, etc. A todo momento são introduzidas dicas que proporcionam um melhor aproveitamento do assunto em questão. Como já é sabido, é possível um músico trabalhar de forma eficiente sem conhecimento técnico de informática ou de áudio. Nunca foi necessário conhecer detalhadamente o funcionamento de um gravador para se registrar um improviso inspirado. Contudo, como desde os anos 70, há uma tendência dos músicos se tornarem cada vez mais auto-suficientes, concluí que incluir algumas informações técnicas relevantes seria de grande valia.

Novos campos de atuação para músicos e produtores foram criados com a introdução da informática na música. Este livro, iniciado, organizado e finalizado no computador é um exemplo. Durante dois anos trabalhei assiduamente neste projeto que, pelos processos convencionais, teria demandado, no mínimo, o dobro do tempo. As revisões técnicas e sugestões de Sólon do Valle (a quem agradeço imensamente) foram 99% realizadas por email, o que agilizou todo o processo de conclusão.

Há duas décadas atrás, os músicos não poderiam imaginar que seriam solicitados para trabalhar em multimídia, DVD ou Internet. A própria tecnologia dos computadores desencadeou ou contribuiu para o surgimento de novos estilos musicais. Novas categorias de profissionais da música surgiram. Em alguns casos, infelizmente, os envolvidos sequer tocam um instrumento ou têm conhecimento do que é uma clave de sol. A tecnologia atual permite registrar notas uma a uma, emendar trechos já gravados e utilizar bases pré-sequenciadas de forma que, em curto espaço de tempo, a música está montada. Contudo, para maioria dos estilos musicais, este não é o procedimento ideal, como é detalhado na parte Produção Musical no Computador (Composição, Seqüenciamento, Arranjo, Gravação via Áudio e Orquestração).

A dificuldade dos novos usuários não é somente a de aprender como conectar e utilizar os equipamentos mas o que adquirir. Por este motivo, além dos diagramas de conexões, listei alguns exemplos de aparelhos disponíveis, incluindo os vintage (de “safras” antigas) como ponto de partida para o leitor pesquisar o que há no mercado e fazer suas escolhas baseadas em conhecimento. Não é minha intenção sugerir preferência de marcas ou de modelos. Esta tarefa seria impossível de ser realizada já que no mercado da informática e dos instrumentos, os produtos são aperfeiçoados e descontinuados rapidamente. Para que este livro esteja sempre atualizado, tais exemplos foram separados no Apêndice – Exemplos de Equipamentos. Desta forma, à cada edição, novos lançamentos e tendências serão incluídos.

A implementação da tecnologia dos chips (circuitos integrados baseados em silício) e de MIDI – Musical Instrument Digital Interface – promoveu mudanças significativas na forma de criar, arranjar, orquestrar, produzir, gravar e distribuir música. Estas foram as alavancas para a reformulação dos estúdios e do próprio conceito de produção musical. Artistas e músicos tornam-se, cada vez mais, auto-suficientes. Com o barateamento dos equipamentos informatizados, tornou-se possível a utilização de MIDI e a gravação para HD em pequenos estúdios caseiros. Novos meios para a comercialização da própria música surgem a cada dia. Atualmente é possível fazer, por conta própria, a masterização e a duplicação de CDs e disponibilizá-los para venda através da Internet. Além disso, a música pode ser divulgada e propagada sem depender de nenhuma mídia física, como é o caso do MP3 e do WMA. Outras formas e formatos surgirão. Os próprios arquivos originais de música em alta resolução poderão ser distribuídos sem compressão. Nestes processos, inevitavelmente, a tecnologia dos computadores sempre estará envolvida.

Na área da música ao vivo, salvo as apresentações camerísticas ou intimistas estritamente acústicas (sem amplificação), a informática está presente desde a captação dos instrumentos até a mixagem e a amplificação do som.

Música no Computador não é mais simplesmente um sonho para o futuro. É presente, e irreversível.

Luciano Alves

* * *

PREFÁCIO

Conheço Luciano Alves há muitos anos. Não que sejamos velhos; apenas nos conhecemos ainda quase garotos. Fui apresentado a Luciano na época em que ele procurava um guitarrista para completar a formação de uma banda. Eu tocava um pouco de guitarra, e era o bastante. A performance de Luciano nos teclados dispensava totalmente a presença de outro solista.

Logo descobrimos que, além da Música, tínhamos outro gosto em comum: a Eletrônica. Sim, ele era técnico formado, bom no ferro de solda; e eu estudava Engenharia Eletrônica, apaixonado pelo Áudio como sou até hoje. Eletrônica, Áudio e Música: a receita certa para uma amizade. A banda, com minha participação, não durou mais que algumas apresentações em teatros apinhados de gente. A amizade e minha admiração por este – como diriam os americanos – keyboard hero duram até hoje, e não mostram sinais de se exaurir.

Daquele conjunto, que se chamava A Célula, até a maior banda brasileira de todos os tempos, Os Mutantes, foi um caminho natural para Luciano. Caminho que se prolongou até atingir o status de mestre de que atualmente ele desfruta.

Este livro mostra bem minhas razões para ser um fã deste músico: ele consegue transpor, com a mesma facilidade em ambos os sentidos, a ponte entre a Música e a tecnologia. Estas duas áreas, cada vez mais, vêm se fundindo, se multiplicando e formando um espaço de muitas dimensões, com limites nada previsíveis. Digo mesmo que, na atualidade, não há como ser puramente técnico ou apenas músico. Há que se cruzar, a todo momento, a linha difusa que separa os dois campos, mas isto não é aventura para qualquer um. É preciso o duplo domínio, para não tropeçar em terreno desconhecido. Luciano Alves, excelente em Informática e genial na Música, sabe falar sem sotaque as duas línguas. Ou, ainda melhor que isso, está criando uma nova e mais completa língua, resultado da fusão de ambas.

Com um vocabulário claro, Luciano viaja desde os mais simples e antigos dispositivos de criação musical até as mais sofisticadas ferramentas da atualidade. Seja o leitor um músico erudito, um garoto apaixonado pela Música, um operador de som, um DJ ou um mestre do Áudio, encontrará enorme proveito na leitura deste livro.

Sólon do Valle
Editor técnico, Revista Música & Tecnologia

Compartilhe
Outros Títulos
Marcelo-Salazar---Samba-for-All---Percussao Samba for all

Método de percussão Produzido por Luciano AlvesPrefácio de Roberto M. MouraCaracterísticas: Acompanha CD com 27 trilhasPartituras: percussão e cavaquinho/violão com cifras * * * Mestres que são, Marcelo Salazar e Alceu Maia dão bela demonstração de despojamento em “Samba Para …

Gaetano-Galifi---Metodo-de-Guitarra Método completo de guitarra

Por ser um amante do instrumento, Kay incluiu vários exercícios para a utilização da palheta – acessório fundamental, descrito, inclusive, através de fotografias. Tanto horizontalmente (através das escalas), quanto verticalmente (por intermédio dos arpejos), é possível aprender as nuanças da …

Sonata T. 5 para flauta e piano

Produzido por Celso WoltzenlogelEditoração de partitura: Luciano AlvesPartitura: Flauta e piano

Manual-do-baterista Manual do baterista

Mesmo sendo tecladista, posso endossar o trabalho de Rui Motta na didática da bateria, pois tive o privilégio de produzir e editorar todos os seus livros. O Brasil, país do ritmo, ganha este importante registro, resultado do trabalho de um …

Aplicativo Luciano Alves
para Mobiles